quinta-feira, 30 de abril de 2009

O licor de batata e a lata de Nescau


Adoro as pessoas que me mandam histórias, especialmente quem me deixa publicar.:)

Um rapaz de seus 19 anos, leitor do blog, escreveu-me contando uma de suas proezas de work experience em algum ponto do Pacífico. Onde ele está, é produzido um licor de batata fedorento com 60% de álcool (honestamente eu não entendo um digestivo fedorento, mas tudo bem). Ele e seus amigos , em posse dessa gororoba, encheram a cara em algum evento social do grupo.
O lance é que essa juventude tem sede de viver. Os beijos não são entre duas pessoas como eram em meu tempo, por que beijar uma pessoa só, se você pode beijar 15 ao mesmo tempo? Muito prático e eficiente... Ele contava que queria beijar uma escandinava, mas esta estava em um beijo com mais seis pessoas, entre elas uma menina e o namorado desta, um brasileiro (vamos chamá-lo de Jorge). Todos estavam espantosamente chapados pela tal bebida de batata e se você quisesse qualquer pessoa, teria que marcar hora no beijo quintúplo e esperar todo o elenco de Slumdog Millionaire ir antes de você.

No entanto, esse rapaz é brasileiro e não desiste nunca; finalmente consegue beijar a escandinava. Poucos minutos depois esta já está atracada a uma americana e ele a perde de vista.

No dia seguinte, estavam todos reunidos em um museu e falam para esse leitor que a tal moça tinha gozo na roupa, pois tinha pago boquete para o Jorge. Ele vomitou por 3 dias seguidos, sente-se sujo até hoje. É pior do que o licor fedorento de batata?

Finaliza com a frase: "Metade dos brasileiros pagaram boquete pro Jorge por tabela".

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Pica com Glitter II

Amiga de um amigo namorou um modelo, casal feliz, tudo certo. Certo dia eles vão para Búzios com uma galera e o povo queria ir para uma night. Mulherada começa a se arrumar e a tal menina queria porque queria um gloss, pede para todas as amigas e nada, nenhuma tinha. ELE tinha e com glitter. Namoro terminou na mesma hora.

Carai, ser metrossexual só é legal se você é viado; se você é metrossexual e não é viado, pare de se enganar e se assuma, porra!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Como os homens pensam (Episódio 1)

Hoje recebi um brilhante relato de um amigo, vou reproduzir na íntegra:

"Transei com uma advogada de 41 anos toda gostosa que não parava de falar, antes, durante e depois... foi um saco! primeira vez que transar encheu meu saco ao invés de esvaziar... ainda falou merda, gritou e me perguntava mil vezes a mesma porra: "está bom assim?", "sou linda de 4?" "gosta de me comer assim?" "quer que eu gema?""gosta de me ouvir gemendo?" - puta que o pariu !!! Eu respondia pra ver se ela calava a porra da boca, mas ela continuava...

Será que ele ouviu um eco ao responder enquanto ela estava de quatro?

"... inferno na terra!!! paguei meus pecados! Com ela nunca mais!!! hahahahahahahaha Ah, e tem a cereja do bolo! "tá gostoso?" "quer que eu nhém nhém nhém caralho a 4?" Aí quando eu estava quase gozando (fazendo uma força dos diabos pra conseguir me concentrar em qualquer outra coisa que não fosse ela falando pra caralho,) ela me solta a seguinte pérola: "quero ser a BUCETA da sua vida!"

Agora, a pergunta:

O que é a buceta de uma vida?

Curiosa a metonímia utilizada, ela se reconhece como apenas uma buceta ou como um apêndice da própria buceta? Uma sinédoque?

Meninos, limites são estabelecidos de início. JAMAIS pensem que responder às perguntas iniciais de uma mulher, fará com que esta pare de perguntar ou de falar; isso só as faz continuar perguntando, falando e reclamando cada vez mais.

O cérebro é revestido por uma membrana chamada noção e ela não está ali à toa...

Ciúme e outras questões...

Como os que me conhecem sabem, eu adoro psicologia evolucionista. Acho que, se determinado comportamento contribuiu diretamente para a sobrevivência da espécie (da espécie e não do indivíduo), ele não pode ser desconsiderado ou avaliado negativamente sem cuidados. No entanto, diversos deles entram em choque com nossa cultura e isso também não pode ser menosprezado.

Por exemplo, desde a década de 50 (aproximadamente), a ejaculação precoce é condenada ferozmente, a maior queixa dos consultórios de terapia sexual. Eu, particularmente, não considero a melhor coisa do mundo, rs. Vocês sabem que é um dos maiores motivos de estarmos aqui hoje? Ou vocês honestamente acham que os homens da cavernas que demoravam 2 horas para gozar foram nossos ancestrais? Esses foram eliminados em sua maioria, Darwin explica. O lance era fecundar o maior número de fêmeas o mais rápido possível, antes que um predador chegasse. Imagine a motivação para continuar ao aparecer um leão... Seria um mènage-a-meow? Claro que não, os que fizeram isso MORRERAM e não passaram seus genes adiante.

Eu li um artigo que falava sobre a função evolutiva do ciúme, um sentimento que é encarado por nossa cultura de forma estranha. Se ele não ocorrer dentro de uma relação, é ruim e o indivíduo é punido socialmente; se ele existir em excesso, é ruim e o indivíduo é punido socialmente. Ou seja, devemos ter ciúme com moderação. Porra de sociedade da moderação...

Eu, particularmente, penso que o ciúme é uma questão territorial, ao demonstrá-lo, o indivíduo está marcando seu território. Essa seria a função evolutiva do ciúme. Esse lance de paraísos aborígenes onde o ele não existe é viagem de antropólogo drogado, já foi comprovado que ele é presente na maior parte das culturas (para não dizer em todas) em maior ou menor grau. E para completar, o ciúme (desde que com a PORRA da moderação) é reforçado culturalmente. Dizem ser uma espécie de "tempero do amor", "se você ama, tem ciúme"...

Porra nenhuma! Ciúme não tem nada a ver como amor, tem a ver com território. Você sente ciúme de uma pessoa porque ela é "sua propriedade" e você não quer que ninguém invada, só falta fazer xixi em volta.

Por outro lado, acho o conceito de amor livre um barato, muito bom em teoria. Na prática, pode funcionar em alguns casos (são as exceções que sempre existem) e por algum tempo, desde que a questão do território não exista. Para funcionar, é preciso que haja sinceridade e, a meu ver, sinceridade é um comportamento bastante positivo para algumas pessoas, mas nada favorável para a perpetuação da espécie.

P.S: Skinner diria ,(e eu concordo), que nem todo comportamento que foi fundamental para a evolução e perpetuação da espécie é o mais positivo nos dias de hoje. Ejaculação precoce já foi o must, mas não vejo sua importância hoje em dia e não gosto nem um pouco.